Correios
Sistema Sara


28 de setembro de 2006

Estamos vivendo um pesadelo, é o que mais se escuta nas agências dos Correios hoje. O programa Sara está tirando a tranqüilidade de todos os atendentes.
Absurdos e verdadeiros erros de sistema estão ocorrendo. Nos atendimentos, os atendentes estão pagando, em dinheiro, todos os erros de sistema, porque ao final do dia o caixa não fecha em função dos problemas do programa.
O quebra de caixa é uma verdadeira fachada para que o Correio possa descarregar os erros do sistema nas costas dos atendentes. É muito suspeita a manutenção de um sistema que todo mundo sabe que não oferece a menor segurança para uma correta contabilidade do que acontece dentro da empresa. Os atendentes têm quebra-de-caixa de cento e cinqüenta reais, quando a diferença de caixa chega a ser muito maior que o quebra-de-caixa.
Muitos estão saindo de licença médica, pois o problema fica cada vez pior, o quadro depressivo se agrava e a fobia aumenta. Muitos estão com pressão alta chegando a parar em UTI. Os atendentes têm que responder a processos pois chegam a descontar na folha de pagamento.
Pior! Os atendentes têm que provar que o erro não é deles, mas obrigam que a funcionário pague, pois o que vale é o demonstrativo financeiro, o que o sistema lança. Etiquetas sedex que aparecem do nada e os atendentes têm que dar baixa, selos que retornam ao estoque do nada. Dizem que vai ter melhoras, mas é tudo conversa fiada.
Temos um sindicato que não ajuda em nada. E faz campanha na base dos trabalhadores de que nós somos pelegos, isso demonstra a verdadeira ausência de presença dos sindicalistas mensalões.
Nós não temos apoio da atual diretoria do sindicato, o que está mais que comprovado pelos fatos que ocorreram na campanha salarial.
Essa mesma direção constituída de mensaleiros não dá a mínima pela situação dos atendentes comerciais, porque são funcionários que vivem puxando o saco do governo Lula, e estão interessados em pagar cachaça para o seu grupinho de amigos dos botecos, que é a sua única base de apoio.
A empresa gastou milhões para obter esse programa imprestável que está só nos prejudicando e muito. A ECT trata os funcionários como meros números se saímos de licença ou ficamos na caixa ou morremos, logo somos substituídos (produtos descartáveis). Portanto não podemos ter ilusão nesta empresa que é administrada para favorecer uma minoria de come e dorme.