compartilhar
de de

Eletricitários
Cemig lidera ranking de acidentes fatais
Revelando o descaso com os trabalhadores, os números de acidentes fatais na Cemig é o maior de todas as empresas de energia, onde as empresas terceirizadas são responsáveis pela maioria dos acidentes

O processo de terceirização tomou proporções gigantescas nos últimos anos. Esse processo não lesa somente o bolso da população, com o pagamento de quantias milionárias para empresas terceirizadas que prestam um serviço de péssima qualidade com poucos funcionários e economia de equipamentos, mas em maior grau os trabalhadores dessas empresas são os que sofrem com a perda de direitos trabalhistas e as piores condições de trabalho.

A Cemig (Companhia de Eletricidade de Minas Gerais) é uma das maiores empresas de energia elétrica do País, construída com o dinheiro dos trabalhadores, vem sofrendo profundamente esse processo. Atualmente, segundo dados do Sindieletro-MG, a Cemig possui cerca de 9 mil funcionários próprios e mais de 11 mil terceirizados, ou seja, um número maior que o de efetivos da empresa.

O processo de terceirização tornou-se uma política da empresa porque existe uma pressão dos especuladores que contém ações da empresa, devido à abertura do capital da empresa, onde o governo de Minas Gerais tem o controle da maior parte das ações, mas tem que levar adiante uma política de precarização do trabalho para maximizar os lucros.

Dados da organização das próprias empresas de energia elétrica revelam o problema das terceirizações. A Fundação Coge (Comitê de Gestão Empresarial) divulga regularmente dados sobre os acidentes ocorridos na empresas de energia elétrica. Nos últimos dados disponíveis (2009) a Cemig lidera o ranking de acidentes de trabalho com mortes. Segundo os dados um trabalhador morre a cada 45 dias, sendo que os acidentes nas empresas terceirizadas são 13 vezes maiores do que a Cemig.

Segundo o Sindieletro-MG, nesse ano já ocorreram duas mortes de trabalhadores na Cemig. Os números tendem a aumentar, pois a empresa não negocia mudanças no processo de contratação de mão-de-obra terceirizada.

terceirização é um ataque direto contra os trabalhadores, pois resulta na precarização das condições de trabalho e perda de direitos trabalhistas, expondo os trabalhadores a riscos maiores pela falta de condições adequadas de trabalho, tudo isso para aumentar os lucros dos especuladores.

As mortes causadas por esse processo devem ser denunciadas, e revelar os verdadeiros culpados que são os capitalistas do setor de energia elétrica e os governantes burgueses que roubam descaradamente o dinheiro do trabalhador.

Os trabalhadores devem se colocar contra o processo de terceirização e privatização da Cemig, colocando como pauta principal de suas reivindicações a luta contra a privatização, o fim da terceirização e a contratação imediata dos terceirizados.