One Comment

  1. Flávia Rocha
    9 de outubro de 2016 @ 18:25

    Texto fraco. Coloca opiniões e mais opiniões e acaba não explicando uma sequer. Coloca diversas categorias de pensamento e as relaciona mas não explica! Do que adianta? Falar em:

    “O deputado fluminense é mais um da esquerda pequeno-burguesa que caiu de cabeça na propaganda da burguesia de que o problema da violência contra a mulher é uma questão cultural e que, sendo assim, seria necessária uma mudança de mentalidade. Freixo nos coloca no reino da arbitrariedade do “pensamento”.”

    é sim possível. Mas por que falar em cultura do estupro é estar na arbitrariedade do pensamento? Quem diz que estruturas sociais são arbitrarias? Enfim, vale um texto mais bem fundamentado.

    Reply

Leave a Reply

Back to Top